>

Equipamento removedor de graxa: quando é preciso utilizá-lo?

Funcionário realizando a remoção de graxa em peças industriais.

Existem diferentes tipos de equipamentos removedores de graxa no mercado. Porém seu uso e sua aplicação dependem, principalmente, do volume de remoção de gordura necessário.

Tal escolha também varia de acordo com o tipo de graxa a ser removida e da utilização da peça após seu desengorduramento.

Grande parte das limpezas que precisam ser feitas são em trabalhos de fácil remoção, em que, muitas vezes, o uso de um solvente potente pode resolver o problema rapidamente.

Contudo, mesmo sendo simples, o operador deve sempre ficar atento às medidas de segurança. Isso se dá pelo fato de solventes fortes poderem agredir a pele e liberar vapores tóxicos ao organismo, podendo ser letais ao profissional.

Com isso, o uso de aventais, botas, máscaras, óculos e luvas é indispensável para a manipulação desses materiais durante uma limpeza pesada.

Existem dispositivos e peças que podem sofrer algum tipo de dano quando a remoção da graxa não é feita com o auxílio de um equipamento correto e específico. Isso normalmente acontece com componentes eletrônicos que são imersos em água, ficando, assim, completamente danificados.

Quais os tipos de equipamentos removedores de graxa?

Desengraxante a vapor industrial é um método de desengorduramento muito eficiente no mercado.

Em casos severos, onde existe uma grande superfície a ser desengraxada, faz-se necessário o uso de um sistema de máquinas industriais removedoras de graxa.

Nelas são aplicados os mais sofisticados equipamentos desengordurantes do mercado, como veremos a seguir.

Desengraxantes a vapor

Esse equipamento tem como principal função a remoção da gordura da parte suspensa sobre a ebulição do solvente em uma grande nuvem de vapor.

As diferentes temperaturas entre tais vapores, sendo um quente e o outro frio, gera a condensação das exalações contidas no solvente desengraxante, o que acaba por dissolver toda a gordura.

No fim desse processo, a compilação de outros métodos também pode ser realizada, como a limpeza ultrassônica ou a imersão em percloroetileno.

Existem dois tipos de equipamentos no mercado que realizam a remoção da graxa, sendo diferenciados, basicamente, pelo tipo de solvente.

O primeiro utiliza o brometo de n-propilo e solventes clorados, como é o caso do tricloetileno (TCE). O segundo faz uso de solventes fluorados hidrofluorocarbonos (HFC), como o removedor de graxa a vapor.

Os equipamentos a base de HFC, contudo, são considerados menos agressivos ao meio ambiente, um fator que as empresas têm levado muito em conta.

Desengraxante ultrassônico

Um método tão bom quanto o a vapor, porém, um pouco mais caro é o desengraxante ultrassônico. Nele, através de transdutores, são criadas ondas ultrassônicas que dissolvem a gordura na superfície das peças.

Geralmente, ele é usado para remoção de graxa em equipamentos de pequeno porte ou em conjunto com outros métodos.

Além de eliminar a gordura em diversas áreas, este modelo também é bastante efetivo em materiais metálicos porosos, como é o caso do bronze, se tornando superior a muitos métodos desengraxantes de metal.

Desengordurante aquoso

O melhor método para peças que apresentam pouca gordura impregnada, considerada leva ou moderada, é o aquoso.

Nele é usado um tipo de detergente biodegradável, não sendo tóxico para o operador nem para o meio ambiente.

Existem ainda mecanismos para a separação do óleo removido das peças, a fim de serem corretamente descartados.

Por que seguir as normas quando usar um solvente?

O objetivo da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é estabelecer um padrão de qualidade e um bom senso durante a utilização de equipamentos e produtos.

Além disso, com uma lei regulamentando tal procedimento é possível, também, existir uma vigilância adequada.

Portanto, processos de desengorduramento industrial devem respeitar rigorosamente todas as regras impostas pela ABNT, fazendo uso somente de solventes reconhecidos.

Com isso, a utilização de produtos orgânicos voláteis passa a ser obrigatória com Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) por parte do operador. Além disso, o descarte desses materiais deve ser muito bem realizado, seguindo corretamente todas as orientações do fabricante.

É importante que solventes tóxicos sejam evitados, fazendo com que as empresas prefiram o uso de solventes neutros que não agridem o planeta nem a vida do colaborador, como é o caso do Remoil 18.

Você já sabia o que era um equipamento removedor de graxa e quando é preciso utilizá-lo? Tem alguma dúvida ou gostaria de saber mais sobre o assunto? Deixe seu comentário abaixo e continue acompanhando nossas publicações.

Share

Comments are closed.